E-mail Facebook Twitter

Projeto Hospitais Saudáveis

Desafio a Saúde pelo Clima



Projeto Hospitais Saudáveis

Perguntas Frequentes

1. O que é Race to Zero? 

Race to Zero (RtZ) é uma campanha global iniciada pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (CQNUMC1) para reunir lideranças e apoio de atores não estatais para uma recuperação saudável, resiliente e zero carbono que previna ameaças futuras, crie empregos decentes e desbloqueie um crescimento inclusivo e sustentável. Mobiliza uma coalizão de importantes iniciativas por emissões líquidas zero em cidades, regiões, empresas, investidores e universidades. A RtZ está convidando o setor saúde a se unir a esta campanha por meio do Desafio a saúde pelo clima, coordenado pela organização global Saúde sem Dano (Health Care Without Harm, em inglês) e o Projeto Hospitais Saudáveis (PHS) no Brasil.  

A coalizão RtZ reúne 120 países na maior aliança já criada, comprometida em alcançar emissões líquidas zero de carbono até, no máximo, 2050 e é coordenada pelos líderes da ação climática global – Nigel Topping e Gonzalo Muñoz. O objetivo é impulsionar a mudança para uma economia descarbonizada antes da COP26, quando os governos devem fortalecer suas contribuições para o Acordo de Paris. Embora o foco principal seja zerar as emissões até 2050, a Race to Zero também é uma corrida para zerar a pobreza, a perda de biodiversidade e as pandemias. 

 

2. O que é o Desafio a saúde pelo clima?   

O Desafio a saúde pelo clima mobiliza instituições de saúde em todo o mundo para proteger a saúde pública contra as mudanças climáticas. O Desafio conta atualmente com mais de 300 participantes representando os interesses de mais de 22 mil hospitais e sistemas de saúde em 34 países comprometidos com o clima, resiliência e liderança. 

Por meio do Desafio a saúde pelo clima, a rede global Saúde sem Dano tornou-se o parceiro oficial da Race to Zero para o setor da saúde. Neste sentido, o Projeto Hospitais Saudáveis trabalhará ao longo de 2021 e além para construir uma forte coalizão de instituições de saúde comprometidas com zero emissões até 2050 ou antes. 

 

3. Por que uma instituição de saúde decide se juntar à Race to Zero? 

Uma organização de saúde deve considerar a adesão a essa iniciativa para:

• Juntar-se a uma campanha global intersetorial e essencial das Nações Unidas para atingir nossas metas globais de redução de carbono.

• Cumprir a sua obrigação de “primeiro, não causar danos” além de estabelecer uma meta de redução de emissões de gases de efeito estufa com base científica.   

• Apoiar a ambição da organização em alcançar emissões líquidas zero de carbono.   

• Desenvolver uma estratégia para reduzir as emissões de carbono sistematicamente

• Fazer parte do grupo de lideranças globais na vanguarda da descarbonização do setor de saúde  

 

4. Como a Saúde sem Dano define as emissões líquidas zero e residuais?   

A organização define uma meta líquida zero como um objetivo que exige que uma entidade estabeleça metas distintas de redução de emissões em consonância com a limitação do aquecimento a 1,5°C antes de considerar o uso de compensações. O objetivo deve incluir reduções de emissões em todos os escopos e uma abordagem separada para gerenciar o percentual de emissões residuais para promover a equidade e a resiliência da comunidade. Para a construção de uma trajetória rumo à meta líquida zero, será necessário:

• Metas intermediárias, em consonância com os esforços globais para limitar o aquecimento a 1,5°C, incluindo a redução de 50% dos gases de efeito estufa até 2030 para os países com emissões elevadas2 

• A inclusão de emissões adicionais em todos os escopos à medida que as ferramentas de medição e os dados se tornam disponíveis.

• Reconhecimento de que a gestão de emissões residuais pode precisar incluir soluções de inovação e pesquisa futuras.

As emissões residuais são emissões geralmente reconhecidas pelo setor como particularmente difíceis ou caras de remover, apesar das intervenções direcionadas, do investimento e do foco. Espera-se que as emissões residuais diminuam ao longo do tempo à medida que outros setores inovam e descarbonizam e o setor de saúde usa seu poder aquisitivo para movimentar mercados e promover a inovação. 

 

5. Quem pode participar do Race to Zero? 

Todos os hospitais individuais, serviços de assistência à saúde, sistemas e organizações de saúde podem aderir à RtZ.  

 

6. Quem não pode participar? 

• Os ministérios da saúde não podem aderir diretamente à Race to Zero.

• Os fornecedores e fabricantes de saúde não podem aderir, pois o Desafio é voltado apenas para hospitais, sistemas de saúde e organizações de saúde. 

 

7. Como aderir? 

Participantes do Desafio a saúde pelo clima: O processo de adesão à RtZ envolve o envio de uma carta de compromisso, assinada por um representante da diretoria ou nível superior de sua instituição, com: reduzir as emissões mensuráveis e atingir emissões líquidas zero até 2050 ou mais cedo com metas intermediárias até 2030, e com a preparação e envio de relatórios anuais de progresso. Nós fornecemos um modelo de carta de adesão ao compromisso para preenchimento. 

Membros do Projeto Hospitais Saudáveis (mas ainda não participantes do Desafio): Se sua instituição já é membro dos PHS, mas ainda não participa do Desafio, o processo para ingressar na RtZ envolve: 

• Adesão ao Desafio a saúde pelo clima e realização do inventário de emissões. 

• Envio de uma carta de adesão, assinada por um representante da diretoria ou nível superior de sua instituição, comprometendo-se com os itens apresentados a seguir (Pergunta 8). Nós fornecemos um modelo de carta de adesão ao compromisso para preenchimento.

 

8. Quais são os compromissos necessários para a Race to Zero? 

Os seguintes compromissos são necessários para participar da iniciativa: 

• Para 2050 ou antes, meta de emissões líquidas zero. 

• Para 2030, metas de redução de emissões -50% do que é mensurável para instituições de países de alta emissão e em consonância com os esforços globais para limitar o aquecimento a 1,5°C. Outros devem considerar uma boa parte deste alvo.3 

• Esboço de planos para atingir as metas líquidas zero e intermediárias, incluindo se quaisquer compensações estão planejadas ou sendo implementadas e como o uso das compensações será minimizado. 

• Relatório anual de progressos por meio do Desafio a Saúde pelo clima. 

 

9. Podemos incluir compensações? 

Compensações podem ser incluídas para emissões que são particularmente difíceis de reduzir, mas devem ser sistematicamente minimizadas. As compensações só podem ser exploradas após o desenvolvimento de um caminho para emissões zero e apenas consideradas para emissões residuais que não podem ser tecnicamente ou economicamente mitigadas. 

As instituições que aderirem a iniciativa Race to Zero devem descrever quaisquer compensações que estejam usando, para demonstrar como suas vias de redução podem atender às reduções mensuráveis de 50% até 2030 e como planejam minimizar continuamente as emissões residuais ao longo do tempo. A Saúde Sem Dano está desenvolvendo mais orientações sobre a gestão das emissões residuais e o uso de compensações. 

 

10. Quais são os requisitos de relatórios?   

Todos os membros do Desafio a Saúde pelo clima e Race to Zero precisam relatar anualmente seus progressos por meio dos formulários do Desafio para participar ativamente da iniciativa. 

 

11. Como nossos dados serão usados e/ou compartilhados? 

Todos os dados incluídos na coleta de dados do Desafio a Saúde pelo clima são confidenciais ao PHS e à Saúde Sem Dano. 

As organizações participantes da RtZ podem optar por sua inclusão no portal de ação climática da CQNUMC. Este portal registra os compromissos das organizações participantes e é de domínio público. 

 

12. Como a participação na Race to Zero será reconhecida? 

• O anúncio do primeiro grupo de participantes do setor da saúde na Race to Zero ocorreu em um evento online conjunto da Saúde Sem Dano e CQNUMC em maio de 2021. Consulte os participantes em: healthcareclimateaction.org/racetozero

• Também planejamos anunciar um segundo grupo e reconhecer todos os líderes de saúde Race to Zero na COP26, em Glasgow, em novembro de 2021. 

• Saúde sem Dano estabelecerá uma categoria de Prêmio de Liderança Climática de emissões zero para participantes da Race to Zero. 

• Saúde Sem Dano publicará estudos de caso sobre realizações por participantes da Race to Zero. 

• Os participantes da Race to Zero podem optar por ser incluídos no portal de ação climática da CQNUMC. 

 

13. Existem ferramentas de medição e monitoramento que podemos usar? 

A organização global Saúde sem Dano lançará uma ferramenta de medição da pegada climática da unidade de saúde com fatores de emissões aplicáveis à maioria dos países do mundo no segundo trimestre de 2021. Os membros participantes do Desafio a Saúde pelo Clima do Brasil utilizam a ferramenta de cálculo de emissões de GEE do GHG Protocol e formulários próprios. 

 

Entre em contato com: redephs@hospitaissaudaveis.org para solicitar o modelo de carta de adesão.